Agricultura Familiar E Potencial Competitivo Tecnológico

O Pequeno Proprietario Rural Brasileiro
Publicado em: Agricultura Familiar , Agronegócio , Agropecuária , Bode , Boi , Cabra , Carneiro , Cavalo , Confinamento de Gado , Gado de Corte , Gado de Leite , Gestão Rural , Vaca ,

Setor familiar agricola

Um Setor De Família!

Agricultura Familiar é a atividade rural praticada em pequenas áreas (até quatro módulos fiscais), onde mão de obra e gerenciamento de propriedade são compartilhados pela própria família. A agropecuária é a principal fonte de renda desse setor e a renda familiar está diretamente vinculada ao estabelecimento.

Em comparação com os demais produtores agrícolas, o agricultor familiar tem uma relação mais íntima com a terra. Posto que, se trata não apenas do seu local de trabalho, como também da sua moradia.

Há, na agricultura familiar, uma questão cultural muito forte. A proximidade com a terra faz com que tradições de família e conhecimento popular estejam atrelados ao modo produtivo. Contudo, não reduzida à família, a produção também mantém relação com a cultura local. Pois trata-se de um setor comum em pequenos municípios, onde a produtividade agrícola está mais perceptível ao cotidiano da população.

Produção E Importância Econômica

A produção familiar suína

A agricultura familiar é caracterizada pela policultura: a diversidade no plantio e na produção pecuária. Dentre os principais produtos atribuídos a esse setor, estão: milho, café, mandioca, feijão, arroz, trigo, leite, carne suína, bovina e de aves.

Importante fonte de renda familiar, gerador de emprego no campo e abastecedor do mercado interno; no Brasil, quase 85% dos estabelecimentos agropecuários pertencem a grupos familiares. São cerca de 4,4 milhões de propriedades, sendo a Região Nordeste responsável por 1/3 de toda a produção. Estudos apontam ainda que a agricultura familiar é base econômica de 90% dos municípios brasileiros com até 20 mil habitantes; responde por 35% do produto interno bruto nacional; e absorve 40% da população economicamente ativa do país.

O setor produz 87% da mandioca, 70% do feijão, 46% do milho, 30% do café, 34% do arroz e 21% do trigo do Brasil. Na pecuária, é responsável por 60% da produção de leite, 59% do rebanho suíno, 50% das aves e 30% dos bovinos do país

Modelo De Sustentabilidade

Priorizando práticas tradicionais de cultivo e baixo impacto ambiental, a agricultura familiar é caractrizada por produção sustentável e responsabilidade socioambiental. Técnicas de cultivo responsáveis por excedentes orgânicos são exemplo da produtividade consciente.

Dificuldades Enfrentadas Pelo Setor

Agricultor Familiar Na Fertili

A principal dificuldade do agricultor familiar está relacionada ao potencial competitivo frente a fúria do agronegócio. Com um modelo de produção baseado, sobretudo, no lucro, o agronegócio é caracterizado pela ênfase tecnológica e biotecnológica e resultante eficiência produtiva. A eficiência produtiva, por sua vez, atende à demanda cada vez mais frenética do mercado. Não contando com a mesma possibilidade de investimento, a resistência do pequeno proprietário rural depende de uma gestão eficaz.

Gestão: Um Fator Determinante

Estudos apontam que 56% dos 4,4 milhões de estabelecimentos rurais brasileiros não sabem administrar o patrimônio, aplicar e monitorar a tecnologia. E, para além da disponibilidade de finanças, saber administrar/saber gerir é saber direcionar a produção, pensar no perfil do consumidor do seu produto e saber aplicar o pouco. Afinal, pequenos investimentos, se sábios e bem pensados, são grandes investimentos.

Com a renda familiar e moradia diretamente ligadas à sua produção, o agricultor familiar que pensa a gestão, pensa a sobrevivência pessoal e da sua família.

Tecnologia: Investimento Sábio E Bem Pensado

Agricultor familiar moderno

Hoje, para conseguir se manter na cadeia competitiva do agronegócio, o pequeno proprietário rural deve se especializar e se moldar às novas exigências impostas pelo mercado. Com menos recursos disponíveis para reestruturar-se, essa adaptação precisa se dar de forma menos arriscada. Assim sendo, o produtor familiar tem como solução buscar medidas de produção mais diversificadas, a alocação de pequenos recursos que gerem, por exemplo, uma certa integração tecnológica.

Nesse contexto, o investimento tecnológico não se trata necessariamente da adesão de grandes maquinários à produção. Os avanços técnico-científicos do século resultaram também no desenvolvimento de uma tecnologia mais acessível, mais simplista, mas não menos importante. É o caso dos aplicativos de manejo de rebanho e de gestão produtiva. Se trata de uma pequena tecnologia que mantém o agricultor familiar informado sobre o mercado, sobre sua própria produção e aumenta a sua capacidade administrativa.

Auxílio na seleção de frutos, na detecção de pragas e doenças, informação sobre novas fontes energéticas e direcionamento quanto as aplicações na produção animal (bem-estar, zootecnia, aproveitamento de resíduos). Estes pontos elencados são algumas das vantagens de investir na tecnologia online dos aplicativos de gestão. Estes aplicativos garantem, por meio do reforço de gestão, capacitar a produção familiar, aumentar a qualidade do que será consumido pela própria família produtora e gerar uma renda maior pelo excedente comercializado.