Aumente a Produtividade da sua Produção Leiteira com Controle!

Aumente a Produtividade da sua Produção Leiteira com Controle!
Publicado em: AGRICULTURA FAMILIAR AGRONEGÓCIO AGROPECUÁRIA GADO DE LEITE PECUÁRIA LEITEIRA VACA

Pecuária Leiteira no BrasilA produção leiteira brasileira ainda se encontra em um momento de transição. Ainda estamos buscando passar de um modelo extrativista para um setor competitivo e forte. Nesse sentido, começa-se a pensar uma produção de leite mais eficiente e de baixo custo.

Mas como dar o primeiro passo para alcançar o potencial competitivo da sua produção leiteira? Bom, para a Fertili, conhecer a sua cadeia produtiva interna, sobre qual ritmo caminha as atividades da porteira a dentro, é essencial.

Esse primeiro passo, por sua vez, encontra sua principal aliada na estratégia de controle leiteiro que envolve o conhecimento do ciclo produtivo das vacas e a criação de uma curva de lactação para cada animal.

Controle estratégico da produção leiteira

O que a Fertili chama aqui de estratégia, na verdade, é medida essencial tomada por qualquer produtor que visa levar sua produção leiteira a um novo patamar.

O controle leiteiro é o registro de produção de cada animal. É através dele que o produtor obtém uma estimativa segura da produtividade do rebanho. E é dessa forma que selecionar os melhores animais torna-se mais fácil.

Mas como fazê-lo?

Para construir um registro de produção, o produtor deve contar com o auxílio do conhecimento do ciclo produtivo das vacas. Só assim ele poderá, em um intervalo que varia de 15 e 45 dias, recolher dados suficientes que o permita construir uma curva de lactação para cada animal.

Conhecendo o Ciclo Produtivo das Vacas Leiteiras

Vacas leiteiras, como as das raças jersey, pardo-suíça e holandesas, têm potencial para produzir leite por mais de dois anos após o nascimento da cria. No entanto, essa capacidade de produção só será realmente definida pelas características genéticas de cada animal.

Portanto, para obter controle total, só conhecendo o ciclo de cada vaca, certo? Sim, mas existem períodos comuns que podem auxiliar o produtor de leite.

Período Seco/de Transição

O parto põe fim à gestação e início à produção de leite. O período produtivo de toda a vaca começa quando o bezerro nasce. No entanto, até aí é um longo caminho. O manejo correto das fases que antecedem ao período de lactação é determinante para a eficiência da produção leiteira.

No meio de todo o ciclo lactacional, um dos momentos que exigem mais cuidado é o chamado período seco ou período de transição.

Mas o que é esse período? 

O período de transição se refere aos 45 a 60 dias antes do parto. Sendo que, o período mais crítico para uma vaca de leite são os 21 dias antes e após o parto.

O manejo alimentar correto durante esse período está diretamente ligado ao consumo de alimentos. Sendo que este, por sua vez, tem efeito direto na produção leiteira e na variação do peso vivo no início da lactação.

Como assim? Calma, a Fertili vai explicar

A alta ingestão de alimento no início da lactação reduz o tempo que as vacas permanecerão em balanço energético negativo.

Nesse sentido, um dos principais objetivos é conseguir vacas com condição corporal adequada para cada estágio de lactação. Potencializar o consumo de alimento durante o período de transição pode facilitar esse objetivo.

E no Caso das Novilhas?

Vacas LeiteirasApós ter diagnosticado a gestação e confirmado a concepção, a novilha já é manejada junto às vacas secas ou em um lote só de novilhas. Isso é importante pra que o animal comece a receber a alimentação adequada, para que chegue ao parto com o peso ideal (variando de acordo à genética).

Por volta de três a quatro semanas antes do parto, a novilha deve ser manejada junto ao lote de vacas em lactação. Desta forma, ela irá se adaptar à nova dieta e à rotina de ordenha das vacas em lactação.

Poucos dias antes do parto, a novilha deve ser levada para uma baia maternidade (confinamento) ou para o pasto maternidade (extensiva). A alimentação fornecida será a mesma dada para as vacas já em produção.

O Desmame

Muitos produtores que tocam a pecuária intensiva, desaleitam o bezerro tomando como único critério a idade (cerca de 60 a 120 dias), mas isso nem sempre é o ideal a se fazer. O desmame precoce deve ser feito apenas em bezerros que se desenvolveram bem. Pode ser que o animal ainda não consiga ingerir quantidades suficientes de alimento sólido e se sustentar sem o leite. O que pode gerar um bezerro subnutrido e mais suscetível à doenças.

Portanto, para a desmama, é aconselhado levar mais alguns critérios em consideração. Tais como:

  • Se o animal estiver com 12% a 15% do peso de uma vaca. Para um Holandês isto será em torno de 80 kg;
  • O bezerro deve estar consumindo cerca de 1,75 a 2 kg de concentrado por dia;
  • Até o 28º ou 30º dia após o nascimento, o alimento com maior valor nutricional é e sempre será o leite.

Produtores de pecuária extensiva costumam desmamar o bezerro aos 6 a 8 meses de vida.

Prolongamento da Produção Leiteira

Para prolongar o período de lactação, é necessário que, após o desleitamento, a mama do animal seja estimulada pela ordenha natural ou mecânica.

Quando a mama é sugada ou pressionada, uma mensagem é enviada ao cérebro da vaca, estimulando a glândula hipófise, que libera um hormônio chamado oxitocina. A ocitocina chega à mama pela corrente sanguínea, contraindo as fibras musculares e forçando a liberação de mais leite.

A Interrupção da Produção de Leite

Para que o período de lactação seja interrompido, o que é recomendado nos dois meses finais de uma nova gestação, basta parar com a ordenha. O leite acumulado exercerá uma pressão que é o suficiente para o organismo interromper a produção.

Construindo a Curva de Lactação

É chegada a hora de construir a curva de lactação, mas do que realmente se trata?

A curva de lactação é uma representação gráfica da variação da produção de leite diária de uma vaca leiteira em função da duração da lactação. Essa curva pode ser utilizada para estimar a produção de leite em qualquer período ou no transcorrer da lactação.

 

 

Por que construir uma curva de lactação?

A resposta é simples: controle! O conhecimento do comportamento das curvas de lactação de um rebanho auxilia na adequação de técnicas de alimentação e manejo, no descarte e na seleção de animais, a partir de um padrão desejável e preestabelecido conforme a capacidade de produção.

Assim, comparar a curva entre diferentes grupos de animais, com distintas composições raciais, idades ao parto, rebanhos e outros é de enorme importância. Pois é desta forma que se obtém informações sobre a eficiência desses grupos. Ou seja, um controle de produção.

As Fases da Curva de Lactação

A curva de lactação é composta por basicamente três fases:

1- Crescente (até cerca de 35 dias após o parto); 2- Pico (produção máxima observada); 3- Declínio (continuo até o final da lactação, ou antes pela secagem completa aos 305 dias de lactação).

No entanto, existem duas principais características da curva que determinam sua forma: a persistência e o pico da lactação.

O Pico de Lactação

Como já foi dito, trata-se da fase correspondente à máxima produção.

A Persistência 

A persistência de uma curva de lactação é medida da queda diária da produção, após ter atingindo seu pico, até o final da lactação.

Existem vacas com habilidade de manter a capacidade da sua produção mais constante. As vacas da raça Holandesa, por exemplo, costumam possuir taxa de persistência acima de 90%. Contudo, existem vacas menos especializadas com uma taxa de persistência de 80% ou até menos.

Afirma que uma vaca tem a taxa de persistência da lactação de 90%, significa que no próximo mês ela produzirá 90% do leite que ela produziu no mês anterior.

O Cálculo da Taxa de Persistência

Para calcular a Persistência da Lactação (PSL), pode-se usar a seguinte fórmula:

PSL = [1- ( (PLant -PLpost) x (30 / IECL) /PLant)] x 100

Onde:

PLant = Produção de Leite Anterior (produção de leite do mês anterior.  29 kg no exemplo) PLpost= Produção de Leite Posterior (produção do leite do mês atual. 23 kg no exemplo) IECL= Intervalo em dias entre os controles leiteiros (no exemplo abaixo usaremos 31 dias).

Ex.: PSL = [1 - ((29 - 23) x (30/31)/29)] x 100 = 80%

A Fertili no Controle com Você!

A Fertili vem facilitar o controle leiteiro da sua propriedade! Com o nosso aplicativo de gerenciamento e manejo, você tem resumos produtivos, prontuários de cada animal, visão geral da sua produção leiteira e todos os registros na palma da sua mão a qualquer hora!

A Fertili te auxilia na administração da atividade leiteira, na tomada de decisões e te ajuda a acompanhar a produtividade do rebanho. Agora ficou mais fácil identificar a capacidade e o desempenho de cada animal!