Recuperação de Pastagem na Pecuária Como Fazer

Recuperação de Pastagem na Pecuária Como Fazer
Publicado em: AGROPECUÁRIA FAZENDA PASTAGEM NUTRIÇÃO DO GADO

Identificar pastos degradados e pouco produtivos e fazer a recuperação da pastagem é um processo básico de uma fazenda produtiva. Afinal, a pecuária de corte depende de bons pastos. 

Pois, a pastagem de uma fazenda pecuária é o segundo patrimônio mais importante depois do rebanho. Sem bom pasto, o capim enfraquece, o gado come mal e a produtividade cai. 

Como identificar a necessidade de recuperação da pastagem?

Mas antes de iniciar a recuperação de pastagem é necessário identificar a necessidade dela, certo?  Ou seja, o pecuarista gestor precisa ter um bom controle das áreas de pastagem para saber quais estão degradadas e precisam de manutenção. Isso pode ser conseguido com uma boa ferramenta de gestão da fazenda, como o Fertili 360.

A forma mais prática de identificar uma pastagem degradada é analisando a capacidade de suporte. Ou seja, a taxa de lotação. Calcule quantos animais é possível manter em uma área com x hectares sem ter prejuízo com perda de peso. Ao estabelecer a capacidade de suporte ideal, você poderá entender quais áreas estão suprindo as necessidades nutricionais do gado e quais não estão.

Quando o pecuarista não possui o controle de áreas de pasto, pode ser pego de surpresa com um rebanho mais magro e uma baixa na receita da fazenda. Por isso, é tão importante o gerenciamento da fazenda pecuária. Em resumo, é importante que a degradação da pastagem seja identificada rapidamente. Porque  quanto mais uma pastagem é degradada, mais cara e difícil sua recuperação se torna.

O passo a passo para recuperação de pastagem

Identificar o pasto degradado é preciso e você poderá fazer isso com boa gestão das suas áreas. Porém, para fazer a recuperação de pastagem há alguns passos a seguir. Confira agora quais são.

Avaliação do nível de degradação da pastagem

O pasto pode estar degradado em até 4 níveis. Por isso, antes de iniciar o protocolo de recuperação de uma pastagem é importante se atentar a cada um deles:

  • Degradação leve

É uma fase inicial em que as gramíneas no pasto ainda são produtivas e apresentam queda de 20% na taxa de lotação. Contudo, elas apresentam rebrota lenta devido ao alto número de plantas daninhas no capim. 

  • Degradação moderada

Nessa fase há infestação maior de plantas daninhas. Por isso, o percentual de capim cai apresentando zonas de solo descoberto. Além disso, a capacidade de suporte pode ter uma baixa de 30% a 50%.

  • Degradação forte

O pasto fica praticamente inutilizado. A capacidade de suporte cai entre 60% e 80%. Nessas condições, as plantas daninhas tomam conta da área e a proporção de mato é muito superior à de capim.

  • Degradação muito forte

Aqui nem mesmo as plantas daninhas sobrevivem e a área se torna basicamente solo descoberto. Sinais de erosão começam a aparecer e quase não há capim. Por isso, nessa fase pode-se dizer que a capacidade de suporte é nula. Porque fica 80% inferior à ideal para um fazenda produtiva.

Análise de solo onde o pasto será plantado

Pasto para gado de corte recuperar

Depois de entender o nível de degradação, é necessário analisar o solo. Por isso, para recuperar a pastagem degradada com sucesso, o pecuarista deve contratar um especialista para fazer análise de solo.

O especialista em solos vai trazer diagnósticos que indicarão os níveis de fósforo e potássio da terra. Além disso, ele vai indicar a forrageira mais produtiva para a área avaliada.

Definição do tipo de recuperação de pastagem

A depender da disponibilidade financeira do produtor e do nível de degradação da pastagem, é possível pensar em 3 formas diferentes de manejo de recuperação de pastagem. 

São eles:

  • Recuperação direta;
  • Renovação;
  • Recuperação renovação indireta.

Recuperação direta da pastagem

Ervas daninhas no pasto

Esta é a forma mais comum de recuperação de pastagem e é recomendada para as fases 1 e 2 de degradação. Além de ser barata, é simples de ser realizada. 

Na recuperação direta da pastagem, o pecuarista faz a limpeza do pasto eliminando as plantas daninhas. Em seguida, ajusta a fertilidade do solo com adubação e, nos casos em que há análise do solo, faz reajustes dos níveis de minerais. 

Depois, basta plantar a forragem onde o pasto já está descoberto. Nessa modalidade não é necessário deixar o gado fora da área a ser restaurada e o processo de restauração é curto.

Renovação de área de pastagem

A renovação da área de pastagem é o método mais adequado para

os níveis 3 e 4 de degradação. É feito com a correção da fertilidade do solo e a renovação total da pastagem. 

É preciso tirar o gado da área por cerca de 3 meses, o que não será barato. Por isso, a depender do nível de degradação e do tamanho da área, essa reforma pode custar até 3 vezes mais que a primeira citada.

Recuperação/renovação indireta 

Dentro dessa modalidade de recuperação de pastagem o pecuarista tem a opção de fazer a integração do pasto à lavoura ou floresta, para recuperar a fertilidade.

Apesar de necessitar de mais suporte técnico para funcionar, a integração Lavoura/Pecuária, por exemplo, pode ser uma forma inteligente de usar de diversificar a renda da propriedade. Nesse sistema é comum a integração de pasto com milho, por exemplo.

Recuperação de pastagens depende de tecnologia e estratégia

A degradação da pastagem é comum. Para saber quando iniciar a recuperação é essencial a boa gestão da fazenda pecuária. Essa gestão da fazenda deve ser estratégica e ter ferramentas de monitoramento de áreas e rebanhos. Assim o produtor consegue organizar a produção e estar atento às demandas do gado. 

Se você quer ser um gestor melhor, faça o treinamento gratuito da Metodologia 360. Uma série de técnicas que transforma você em um Pecuarista 360. Preparando você para transformar a fazenda em uma empresa rentável.