A Importância Do Conforto Das Vacas de Leite

A Importância Do Conforto Das Vacas de Leite
Publicado em: GADO DE LEITE PECUÁRIA LEITEIRA VACA

Não é que precisem de mais conforto que as outras vacas. Porém, sim! O conforto das vacas de leite influencia na qualidade do leite produzido. No entanto alguns produtores ainda negligenciam essa questão. Se você é um deles, é hora de repensar. Continue lendo e entenda.

O Bem-Estar Animal na Pecuária

Pecuária leiteira intensiva

Seja numa criação de confinamento ou a pasto, existem fatores que podem agir como empecilho para o bem-estar do gado. Ou seja, podem provocar estresse, demasiado desconforto e, por consequência, diminuir a eficiência produtiva da fazenda.

Nesse cenário, o principal influenciador é o clima. Ou seja, é muito importante pensar no local que sua fazenda leiteira será instalada. Uma vez que, frio e excesso ou clima muito quente e seco podem afetar no bem-estar das vacas de leite. Contudo, isso depende da raça e da rusticidade do rebanho.

Clima Quente Na Pecuária de Leite

Fala a verdade, você exerce melhor as atividades do seu dia-a-dia se houver sombra e água fresca, certo? Com as vacas de leite não é diferente!

Nesse contexto, grande parte do gado de produção leiteira é sensível ao clima quente. Em geral, o calor em excesso prejudica a produção e o desempenho reprodutivo das vacas. Pois, as vacas reduzem a ingestão de alimentos quando estão sob esse tipo de estresse. Obviamente, quando isso ocorre, o escore de condição corporal cai.

Além disso, o calor excessivo também afeta o sistema endócrino das vacas. Como também reduz o tempo de ruminação e a absorção dos nutrientes.

Vacas de Leite Gostam do Clima Chuvoso?

Na verdade, não. Sabemos que os climas úmidos também podem se tornar um problema na pecuária de leite. Pois, o aumento da umidade relativa do ar afeta a perda de calor bovina. Posto que, 85% dessa perda se dá por meio de processos evaporativos (transpiração e respiração).

Além disso, o aumento da umidade relativa do ar gera estresse no gado. Há ainda outro grande problema em potencial, que é o acúmulo de lama nos currais.

Portanto, em períodos chuvosos, fica muito difícil seguir uma rotina de limpeza adequada. Com isso, o esterco gerado pelos animais acumula e impede a infiltração normal da água nos dias de chuva. Consequentemente, isso gera uma grande quantidade de lama nos piquetes, barracões e currais de espera.

Além disso, a lama pode facilitar a ocorrência de mais outros dois problemas:

Mastite em Vacas de Leite

Vacas leiteiras Pecuária do Brasil

Ambiente propício à proliferação de doenças e manejo inadequado podem resultar em Mastite Bovina. Ou seja, uma doença bacteriana que gera inflamação da glândula mamária. Em geral, a ocorrência de Mastite aumenta em época chuvosa, afetando o desempenho produtivo e reprodutivo das vacas e diminuindo a qualidade do leite.

Além disso, a Mastite eleva os custos da fazenda. Pois, além da queda na receita, o tratamento das vacas não é barato.

Amolecimento Dos Cascos

Outro problema sanitário que surge quando há um grande acúmulo de lama nos currais é o amolecimento dos cascos dos animais. Esse amolecimento faz com que o casco se desgaste com facilidade, deixando-o mais suscetível às infecções, pois os ferimentos cicatrizam com maior dificuldade. O resultado é dor e desconforto para os animais.

É importante destacar que, mais que o controle sanitário,  para prevenir as doenças dos cascos é interessante que seja utilizado nos animais o pedilúvio, pelo menos uma vez ao dia.

Soluções Para Conforto Das Vacas de Leite

Hoje, já existem sistemas de criação que são integrados à fazenda. Eles são desenvolvidos para proporcionar mais conforto para as vacas.

Em geral, são sistemas projetados para manter o equilíbrio entre os componentes da propriedade (árvores, plantas forrageiras e animais) e as instalações da fazenda. Além da relação com os fatores ambientais, tais como o clima e relevo. Contudo, esses sistemas de conforto exigem planejamento e conhecimento adequado. Caso contrário, podem resultar em prejuízo.

Confira agora os principais sistemas para mais conforto das vacas:

Sistema Silvipastoril (SSP) 

No Silvipastoril, há uma combinação intencional de árvores, pastagem e gado numa mesma área. Portanto, os componentes são manejados de forma integrada. Assim, o objetivo de potencializar a produtividade por unidade de área fica mais simples. O sistema SSP pode evitar a degradação dos recursos naturais. Pois, permite a recuperação da área produtiva.

Nesse sentido, a criação de animais com árvores dispersas na pastagem, em divisas e em barreiras de quebra-ventos, pode:

  • reduzir a erosão;
  • melhorar a conservação da água;
  • reduzir a necessidade de fertilizantes minerais;
  • capturar e fixar carbono;
  • variar a produção;
  • aumentar a renda e a biodiversidade;
  • melhorar o conforto dos animais.

Contudo, o principal fator que proporciona o conforto dos animais nesse sistema está relacionado à criação de sombras.

Free Stall

O Free Stall é caracterizado por um galpão, coberto, com uma cama de areia para cada animal. Assim, cada vaca passa o dia ruminando nesse ambiente. Ou seja, é um sistema ideal para os produtores de gado leiteiro. Posto que, as raças de vaca com aptidão para a produção de leite não costumam se adaptar ao clima tropical.

Contudo, é importante dizer: o custo de implantação de um free-stall no Brasil pode chegar a US$ 1.200,00 por cabeça. Portanto, é preciso pensar se vale a pena para a sua fazenda.

Compost Barn

POr fim, vamos falar do Compost Barn. Que nada mais é que uma grande área coberta de descanso para vacas leiteiras. Normalmente é revestida com uma cama de serragem, aparas de madeira e esterco compostado. Sua característica básica é a compostagem desta cama, cujo objetivo é proporcionar um local confortável e seco durante todo o ano.

Priorize o Descanso das Vacas

Vacas de leite

Para garantir o desempenho da produção de leite, é necessário garantir, no mínimo, 8-10 horas diárias de descanso. Então, o descanso deve se dá em espaço suficiente. Ou seja, pelo menos 5 m² por vaca. Também é importante que seja uma área fresca, seca e confortável.

Vale ressaltar que a produção de leite mantem relação direta com o fluxo de sangue que chega na glândula mamária. Quando as vacas estão deitadas, o fluxo de sangue que chega ao úbere é de aproximadamente 342 litros/hora. No entanto, quando as vacas estão em pé, esse fluxo é de 228 litros/hora. Ou seja, em pé, as vacas produzem menos leite.

As vacas costumam dar sinais quando estão em situação de estresse. Fique atento:

  • Balançam as cabeças, permanecem em pé e têm aparência de cansadas nas áreas de descanso;
  • A contagem de células somáticas e a incidência de problemas de casco aumentam;
  • Preferem deitar a pastejar quando entram num piquete novo.
  • Dar conforto às vacas não custa caro e pode economizar muito dinheiro ao produtor.

Por isso, fique atento, e cuida da boa gestão da fazenda. Com uma gestão pecuária eficaz, você conseguirá monitorar as vacas de leite e ainda calcular os níveis produtivos com mais clareza e precisão.