Higiene Na Ordenha: Aprenda Para Lucrar Mais

higiene na ordenha
Publicado em: Agronegócio , Agropecuária , Bovinocultura , Bovinos , Fazenda , Gado de Leite , Gestão Rural , Gir Leiteiro , Girolando , Guzerá , Pecuária Leiteira , Saúde Bovina , Simental , Tabapuã , Vaca ,

mantenha a boa higiene na ordenha A boa higiene na ordenha é um fator decisivo para o ramo leiteiro. A pecuária de leite exige padrões de higiene extremamente minuciosos em seu processo produtivo. Portanto, negligências mínimas por parte do produtor ou por parte da mão de obra durante o manejo das vacas leiteiras e durante a ordenha fogem dos padrões de segurança alimentar, e ainda podem afetar de forma drástica a saúde e o desempenho produtivo das vacas. 

Porém, mesmo sendo decisiva para a produtividade da fazenda, é comum perceber problemas graves de contaminação ocasionados pelo descuido com a rotina sanitária das vacas e falta de esterilização de equipamento. Mas não são apenas esses dois fatores que precisam de uma atenção especial. São muitas as boas práticas de higiene na ordenha e é o conjunto de cuidados que proporciona a eficiência produtiva e a segurança dos animais.

Boas Práticas Para A Higiene Na Ordenha

Para que a higiene na produção leiteira seja garantida, existem algumas práticas a serem seguidas regularmente durante a ordenha. Confira:

  •     Identifique cada vaca de forma individual. O monitoramento de cada processo veterinário ou tratamento antibiótico realizado nas vacas ajuda o produtor a identificar os animais que estão capacitados para produzir o leite comerciável. Além disso, é importante separar vacas doentes do rebanho e deixá-las longe dos locais onde a ordenha é realizada.  Para realizar este monitoramento, o produtor de leite pode contar com a Fertili. O aplicativo oferece um sistema prático de controle veterinário e monitoramento de rebanho.
  •       Garanta que as tetas sejam devidamente limpas com água e secas com papel toalha antes da ordenha. Na ordenha mecânica ou manual, este processo é estritamente necessário, pois evita que o leite e/ou equipamentos sejam contaminados com bactérias que possam estar presentes no pelo e na pele das vacas.
  •       Garanta uma manutenção regular do equipamento de ordenha. A limpeza e a garantia de que todas as ferramentas estão funcionando adequadamente ajudam a prevenir a mastite e lesões nas tetas.
  •       A sala de ordenha deve ter uma estrutura que facilite a limpeza e dispense acúmulo de poeira ou possíveis resíduos. O ambiente da ordenha deve ser construído com material que possibilite limpeza fácil e eficiente.
  •      Faça o teste de Mastite na retirada do primeiro jato de leite de cada teta da vaca. Uma das formas mais simples é utilizando uma caneca de fundo preto. Tire um jato de leite de cada teta por vez, observando atentamente se há pus, sangue ou outras impurezas. O fundo escuro da caneca ajudará na visualização. Se alguma das tetas estiver infectada, separe a vaca imediatamente do rebanho para dar início ao tratamento.

A Mastite 

previna doenças através da boa higiene na ordenhaFalar em Mastite é essencial para a produção de leite. Afinal este é um problema recorrente em vacas leiteiras e pode ser evitado com boas práticas higiênicas e testes preventivos. 

Também conhecida como Mamite, a Mastite consiste na inflamação da glândula mamária. Essa inflamação prejudica o bem estar animal e afeta a produtividade das vacas, acarretando diversas perdas econômicas para o produtor. A mastite é ocasionada pela junção de alguns fatores, são eles: o agente patogênico (bactérias, fungos, vírus...), o ambiente e a baixa imunidade das vacas. Essa enfermidade é relativamente comum nos rebanhos leiteiros do Brasil e é classificada em dois tipos:

Mastite Clínica: quando alguns sinais clínicos e sistêmicos ficam evidentes. Estes sinais podem ser edema, endurecimento da glândula, dor, alteração na aparência do leite, depressão, desidratação, diminuição da produtividade.

  Mastite Subclínica: quando os sintomas clínicos não são evidentes, mas a composição química do leite é alterada e também ocorre diminuição no desempenho produtivo das vacas.

Higiene Na Ordenha Se Relaciona Com Produtividade

produção de leite com higieneÉ claro que não são apenas as boas práticas higiênicas que fazem uma fazenda leiteria ser mais produtiva. No entanto, como pode ser percebido, este é um fator relevante. Posto que, as boas práticas higiênicas estão diretamente relacionadas com a saúde das vacas, a segurança alimentar e a credibilidade do produtor.

E este são pontos cruciais para um pecuarista que produz leite. Afinal, não será com vacas doentes e leite contaminado que a fazenda leiteira irá se desenvolver.

A indústria cada vez mais exigente e dinâmica, procura leite com mais qualidade e os clientes querem a cada dia se certificar que a origem dos produtos que estão adquirindo é realmente segura e confiável. Por isso, é importante que o pecuarista se atualize, busque sempre novas práticas e métodos para implantar na fazenda e garanta uma ordenha mais segura.