Você sabe o que é Integração Lavoura-pecuária?

Você sabe o que é Integração Lavoura-pecuária?
Publicado em: AGRONEGÓCIO AGROPECUÁRIA BOVINOCULTURA CADEIA PRODUTIVA PECUÁRIA CAPRINOCULTURA EQUINOCULTURA FAZENDA GADO DE CORTE GADO DE LEITE OVINOCULTURA

A Integração Lavoura-pecuária é uma técnica de uso intensivo e sustentável do solo. Através dela é possível cultivar em uma mesma área lavouras e pastagens. Com o objetivo de recuperar solos degradados e produzir pastos mais nutritivos, a integração garante o aumento da produtividade e uma pecuária de curto ciclo.

Solução para a alimentação do gado

Integração Lavoura PecuáriaCom um rebanho comercial bovino que é o maior do mundo, alguns pecuaristas do Brasil ainda sofrem com problemas de ordem primária, como a impotência para lidar com a falta de alimento de qualidade em épocas secas.

Em meio ao cenário de dificuldade, surge a técnica da Integração Lavoura-pecuária. O sistema, que é utilizado há muito tempo por pecuaristas gaúchos e pesquisado recentemente pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), une o pasto à lavoura, a fim de incrementar a alimentação e suprir as necessidades do gado.

Integração Lavoura-pecuária na prática

Para que exista a Integração Lavoura-pecuária, é necessária a utilização das áreas agricultáveis tanto para a lavoura quanto para o pasto. Assim, além de produzir grãos, provenientes da cultura de lavouras, pode-se produzir também o pasto e a partir dele garantir a alimentação do gado, que produzirá carne e/ou leite. Este é o fundamento básico da Integração Lavoura-pecuária.

Esta produção diversificada e cooperativa pode ocorrer em forma de rotação, consórcio ou sucessão.

Confira a explicação sobre cada uma dessas alternativas.

A Integração Lavoura-pecuária em Rotação

Na Integração Lavoura-pecuária em forma de rotação, a área a ser cultivada é dividida em partes iguais e o cultivo vai variando em determinados períodos de tempo.

Usaremos para este exemplo uma divisão em quatro partes iguais. Nos meses de chuva, 50% da área é recoberta com lavoura e outros 50% com pasto. Nos meses de diminuição das chuvas, 75% da área vira pasto e apenas 25% fica disponível para lavoura. Por fim, nos meses mais secos do ano, 100% da área vira pasto, garantindo assim alimento de qualidade para o gado e aproveitando a fertilização do solo, proporcionada pelo plantio rotacionado da lavoura.

A Integração Lavoura-pecuária por Consórcio

No consórcio, a integração Lavoura-pecuária ocorre de forma associada. Ou seja, os dois cultivos ocorrem simultaneamente, na mesma área. Neste tipo de integração, a atenção do produtor deve ser para a combinação a ser plantada. A preferida entre pecuaristas tem sido a junção da lavoura de milho com pasto de capim-braquiária. O milho, por ser um cultivo relativamente simples, poderá ser aproveitado tanto na comercialização dos grãos, como poderá servir como suplemento em rações.

A Integração Lavoura-pecuária por Sucessão

Neste modelo de integração Lavoura-pecuária, o plantio é substituído completamente durante o ano. Assim, safras de leguminosas - como feijão e soja - são cultivadas em meses de verão e depois são substituídas pelo pasto. Os resíduos dos plantios se tornam adubo e proporcionam um solo mais nutritivo para a formação da pastagem.

Benefícios da Integração Lavoura-pecuária

Lavouras Integradas à PecuáriaO manejo da lavoura e dos animais e a escolha do que é plantado são de importância primordial para o sucesso da Integração Lavoura-pecuária. Os melhores capins entre Pânicos e Braquiárias são, respectivamente, o Mombaça e o Piatã. Já as culturas mais indicadas para participar da integração são a soja e o milho. Também são comuns na Integração Lavoura-pecuária o cultivo dos capins Tanzânia e Massai, Xaraé e Marandu e das lavouras de sorgo, milheto e arroz.

Os benefícios que vão da lavoura para o pasto

Os cuidados com o solo que um cultivo de grãos e leguminosas demandam são, basicamente, a adubação e a correção de acidez. Estas demandas, no entanto, se transformam em benefícios que agirão sobre a qualidade do pasto. Além delas, existem ainda a renovação de nutrientes no solo que, por sua vez, será incrementado com a matéria orgânica produzida pela lavoura.

Com a Integração Lavoura-pecuária, o produtor aproveita a renovação de áreas degradadas pelo uso excessivo em formações de pastagem, conseguindo formar novamente um pasto denso e nutritivo. Ainda é possível lucrar com a produção de alguns grãos e leguminosas, ou mesmo usá-los como ração em ocasião de escassez.

Solução definitiva?

Vale lembrar que apenas a aplicação da técnica não resolve o problema de sub-nutrição do gado. Não existe mágica! O manejo do solo e da sanidade do gado durante todo o processo é um passo fundamental.

Ciclo curto e aproveitamento de áreas

A técnica de Integração Lavoura-pecuária é, portanto, uma prática que proporciona o uso intensivo da terra de forma sustentável e possibilita que uma pecuária de ciclo curto se concretize na propriedade. Com a terra melhor aproveitada e um pasto mais denso e nutritivo, o pecuarista conseguirá maior lotação e uma engorda mais eficiente de cada animal, tornando possível o aumento da produtividade. Além disso, a diversificação de atividades pode trazer rendimentos extras ao pecuarista.

A Fertili agilizando o processo com você

E se você acha complicado controlar toda a dinâmica da Interação Lavoura-pecuária, conte com a Fertili e nosso sistema de mapeamento de áreas. A Fertili garante controle do rebanho e da propriedade de forma simultânea, possibilitando que o pecuarista controle pelo celular, tablet e computador a situação das lavouras e pastos com mais tranquilidade e eficiência. Quem conhecer? Clique aqui.