Erros que o pecuarista NÃO deve cometer

Tecnologia na atividade pecuária
Publicado em: Agronegócio , Bovinocultura , Gado de Corte , Gestão Rural , Nelore , Cadeia Produtiva Pecuária , Fazenda , Inseminação Artificial , Melhoramento Genético , Reprodução Bovina ,

Se você é do tipo de pessoa que ainda desacredita da eficiência e necessidade da tecnologia na fazenda, EU TE DESAFIO a continuar comigo nesta leitura. Porque eu vou te provar, de forma rápida e simples, por que não investir em tecnologia na fazenda é um dos maiores erros que te faz perder produtividade e lucratividade. 

Gostaria de iniciar comparando o pecuarista que não investe em tecnologia na fazenda com um borracheiro. Vou me explicar melhor! 

Ao chegar ao borracheiro com um pneu furado, ele tem que procurar primeiro o furo, e geralmente usa a técnica do tanque de água. Ao colocar o pneu furado na água, os pontos onde o borracheiro deve atuar ficarão evidentes. Se ele simplesmente começasse o trabalho consertando o pneu todo, iria perder tempo, recursos e muito provavelmente não resolveria os problemas reais. 

Na pecuária, a comparação é exatamente a mesma. Tecnologia na fazenda e controle são o tanque de água que vai mostrar para o pecuarista onde os problemas da produção dele estão, e é a partir daí que se começa a trabalhar. 

Aceitou o meu desafio e se dispôs a seguir comigo no texto? Ótimo. Veja a partir de agora os 3 maiores erros que o pecuarista brasileiro precisa parar de cometer para alcançar uma pecuária mais eficiente.


Otimização da pecuáriaOtimização da pecuária


1- Confiar no tradicionalismo da pecuária 

Há quem diga que “não se mexe em time que está ganhando”, mas não é bem assim! Nada é tão bom que não se possa melhorar. O primeiro dos 3 maiores erros é confiar no tradicionalismo e acreditar que aqueles métodos antigos vão funcionar para sempre. 

É normal querer manter aquilo que funciona (e essa é a orientação), mas você precisa analisar quais são as oportunidades de melhoria do negócio o tempo todo. Segundo Francisco Vila, consultor de gestão de projetos de pecuária de corte, 4 a cada 10 pecuaristas podem deixar a atividade por não estarem dispostos a mudar o jeito que trabalham. atividade pecuária bovinos

Essa foi uma previsão feita com base em 20 anos, a partir do ano de 2018. A previsão foi assegurada não somente por um consultor, mas também por um estudo feito pelo Centro de Inteligência da Carne Bovina (Cicarne). 

O estudo traçou um panorama atual sobre a cadeia produtiva da carne bovina brasileira, caracterizou seus desafios e "mega tendências" futuras. A pesquisa revela um cenário mais urgente frente às exigências do mercado consumidor e frente à atividade pecuária. Ignorar essa realidade está entre os maiores erros.

O mercado consumidor da pecuária é outro

O público alvo exige cada vez mais uma carne de maior qualidade. Querem obter produtos com características mais atrativas, envolvendo sabor, maciez e coloração. E além da qualidade do produto final, também é importante pensar em uma cadeia produtiva mais transparente que prevê produções mais sustentáveis na pecuária. 

É… Não tem outro jeito! Para se manter na atividade pecuária, o pecuarista precisa se readaptar. Você quer fazer parte do grupo que será obrigado a bater em retirada? Bom, eu espero que não… a tendência é as fazendas passarem a ser marcas. 

2- Equipe boa é quase tudo!

Em qualquer atividade produtiva, um time bom significa bons resultados. Na pecuária de corte, a mão-de-obra é um dos fatores que mais influencia no sucesso da produção. 

A mão-de-obra corresponde a 20,4% dos custos operacionais totais de uma fazenda de cria e 7,8% de uma fazenda de recria e engorda. Esse dado foi levantado e publicado num boletim pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) referente à média Brasil do mês de março de 2019. 

Como pecuaristas 360, não podemos deixar de gastar pelo menos 20% do nosso tempo dedicado à atividade pecuária, com a equipe. Essa atitude vai te garantir melhores processos operacionais, melhores índices produtivos e reprodutivos, e consequentemente mais lucro. Treinamento e remuneração variável são constantes em qualquer empresa que funciona. Na atividade pecuária a lógica não é diferente. 

“O olho do dono engorda o gado” é uma desculpa na pecuária

E é aí que entra o ditado “o olho do dono engorda o gado”. Isso pode ser verdade quando não se tem uma equipe bem capacitada e focada no mesmo objetivo que o pecuarista. É o que acontece na pecuária quando a única motivação do funcionário é receber o salário e, por isso, só trabalha bem na presença do chefe.

Mas muito se engana quem acredita que ferramentas isoladas serão eficazes sem alguém que entenda o funcionamento e potencial da ferramenta que está ali ao seu alcance. 

Deixar de buscar mão de obra qualificada, ou não qualificar aquela que você já possui, é um dos maiores erros que prejudicam na gestão da fazenda. Os custos de uma mão de obra qualificada não se comparam ao lucro e potencial produtivo que você abre mão se não pensar nisso.curral de bovinos tecnologia na fazenda

Continue a leitura para conhecer mais um dos maiores erros do pecuarista.


Otimização da pecuáriaOtimização da pecuária

3 - Não aplicar tecnologia na fazenda

Uma das problemáticas do agronegócio é o impacto ambiental que pode ser causado pela atividade. Mas você conhece a Agricultura Digital? Ela também  é conhecida como Agricultura 4.0. E consiste na tecnologia voltada para a expansão da produção de forma sustentável, chamada de tecnologia verde.

Hoje, o agricultor já conta com diversas ferramentas que tornam a lavoura uma atividade mais fácil. Drones, satélites, softwares de monitoramento e maquinários inteligentes são exemplos disso.

Mas, pensando na pecuária, agora eu quero te fazer uma pergunta delicada. Quanto tempo você leva para abater um animal na sua fazenda? Qual seu custo por @ produzida? Qual sua margem de lucro? 

Assim como a agricultura, a cada dia a atividade pecuária se torna 4.0, ou seja, profissional, focada nos resultados, online e produzindo não só carne, mas valor. Não tem como ignorar esse movimento e a influência da tecnologia na fazenda. É assumir um dos maiores erros.

Dois por um: a realidade de poucos

Por muito tempo foi considerado normal abater animais com 4 anos. Fazendas 4.0, que já aplicam um elevado grau tecnológico para tomada de decisão e produção, conseguem abater animais com 24 meses ou menos. 

Já imaginou produzir dois animais em um mesmo período? Antigamente, 4 anos seriam suficientes para produzir apenas um. A tecnologia na fazenda é a porta de entrada para revolucionar a pecuária.

Esse é o conhecido como o “Boi 777”. Ele ganha 7@ em cada fase e é abatido com 21@, aos 24 meses. E o melhor: gera um aumento de até 30% no lucro da fazenda. Isso tudo é possível e eu vou te dizer como. 

Isso requer um bom planejamento. Primeiro é necessário uma aliança forte entre genética, nutrição e boa gestão. Mas o segredo é ter um alto grau de tecnologia na fazenda aplicado nas tomadas de decisão. 

O que é preciso para produzir o famoso boi 777?

Para produzir o famoso Boi 777, é preciso muita dedicação e investimento em fatores como genética, nutrição, sanidade e qualidade de pasto. Não é só simplesmente controlar o GMD do seu rebanho.

Até porque segundo Gabriel Hauly, diretor da Açôres Balanças e Troncos, apenas 15% das fazendas brasileiras possuem balança. E essa é apenas um dos maiores erros que o pecuarista comete.

O ponto que eu quero chegar aqui é: você PRECISA de tecnologia na fazenda para garantir o sucesso da atividade pecuária. No método tradicional se leva até 3 anos para produzir um gado de 18 arrobas, enquanto é possível produzir o Boi 777 com 21 arrobas em até 2 anos.

Lembra da previsão sobre os pecuaristas que poderão deixar a atividade? Pois então, ainda no estudo feito pela Cicarne, as "mega tendências" mostram que a inovação digital servirá para inserir gestão e inteligência na atividade pecuária.

O pote de ouro no fim do túnel da implementação de tecnologia na fazenda

As tendências do mercado podem apertar bastante os produtores, mas não é o fim do mundo! Você conseguirá se manter na atividade pecuária se acreditar no que eu vou te dizer agora.

A porta de entrada para tudo isso é: tecnologia de ponta! Para que você não tenha dúvidas disso, vou te mostrar em números o poder de influência que a tecnologia da fazenda tem na lucratividade. Entenda melhor na tabela a seguir:


Produção (Recria)

Tecnologia na Fazenda 

Entrada (@)  

GMD (KG)  

Ganho (@)  

Saída (@)  

Venda (10% Ágil)  

Baixa

6,5

0,8

4

10,5

R$ 2.488,50

Média

6,5

1

5

11,5

R$ 2.725,50

Alta

6,5

1,2

6

12,5

R$ 2.962,50


Essa tabela foi simulada por nós para descomplicar o processo e entender em números a diferença quando se aumenta o nível de tecnologia na fazenda.

Em fazendas de recria com baixo nível de tecnologia, em uma fazenda com 100 animais, a taxa de lotação é de 0,9 UA/ha, com GMD de 0,8 kg e rentabilidade de 3,69%. São resultados ruins? Não! Mas como eu disse, nada está tão bom que não possa melhorar.

Investindo em tecnologia na fazenda, os resultados tendem a ser cada vez melhores. Ainda na mesma fazenda, se o nível de tecnologia fosse alto, a taxa de lotação poderia chegar a 5 UA, com GMD de 1,2 kg e rentabilidade de 15,38%. Veja o impacto disso na receita pecuária:


Margem de Lucro

Tecnologia na Fazenda

Receita Liquida Animal

Receita Liquida Total

Rentabilidade

Baixa

R$ 88,50

R$ 11.947,50

3,69%

Média

R$ 240,50

R$ 72.150,00

9,68%

Alta

R$ 395,00

R$ 296.250,00

15,38%

Otimização da pecuáriaOtimização da pecuária

A diferença entre o custo mensal por animal nessas duas fazendas é de R$33,50 e é nesse ponto que eu quero que você preste muita atenção. Pode parecer um investimento alto, mas você deve considerar qual a rentabilidade que esse investimento é capaz de proporcionar.

Com os dados que eu te trouxe, com um alto nível de tecnologia na fazenda a rentabilidade é quase 12% superior ao lucro das fazendas com baixo nível de tecnologia. Você quer abrir mão disso? Todo ciclo? Se sua resposta for sim, você tem dois caminhos: vender ou alugar seus pastos! Aceitando isso, você entrará para o time de pecuaristas dos maiores erros.

A Fertili pode (E VAI) te ajudar!

A Fertili produz, diariamente, conteúdos relevantes na pecuária para atualizar você. E mais, conteúdos focados em aumentar o grau de tecnologia na fazenda e transformar a pecuária. Acompanhe nossas redes sociais e fique ligado no universo da pecuária 360°.

E agora que você já sabe quais são os maiores erros, chegou a hora de dar o segundo passo para uma pecuária mais lucrativa. A Fertili desenvolveu um aplicativo pensando em você, pecuarista, que quer crescer na atividade pecuária de forma inteligente.

Está disponível para teste grátis o primeiro aplicativo focado em otimização de fazendas, com relatórios completos do desempenho do seu rebanho. Você não vai querer contribuir para o crescimento da lista de maiores erros, né?

Clique aqui e conheça o app Fertili 360, a ferramenta que vai te ajudar a tomar melhores decisões para o sucesso do seu negócio.