Por que produzir silagem na fazenda?

Por que produzir silagem na fazenda?
Publicado em: PASTAGEM NUTRIÇÃO DO GADO

A resposta para o título desse artigo é simples. Produzir silagem na fazenda é uma prática vantajosa que ajuda o pecuarista a manter o gado bem alimentado durante a seca e ainda ajuda o pecuarista de recria a economizar.

Entenda os porquês.

O alto custo produtivo da alimentação do gado

O custo da alimentação do rebanho corte em uma fazenda pecuária de recria é muito alto. Na maioria das fazendas de recria do Brasil, alimentar o gado e mantê-lo nutrido entre as estações pode representar até 70% do custo de produção total. O que é muito.

Silagem para pecuária de corte

Por isso, é importante que o pecuarista domine práticas de manejo de pasto, suplementação e armazenamento de forragem.

Afinal, ao conhecer essas técnicas o produtor de corte entra em contato com estratégias para reduzir o alto custo produtivo relacionado a nutrição do gado. Além disso, ainda mantém a velocidade e o ritmo de engorda sem perder em qualidade e produtividade.

Dentre as estratégias menos custosas e mais eficientes para a nutrição e suplementação do rebanho de corte, está a prática de produzir a silagem própria na fazenda.

Por esse motivo, hoje nós vamos aprender o passo a passo do processo de ensilagem. Vamos entender quais são as técnicas para fazer a silagem própria e, com isso, reduzir os custos produtivos da fazenda de recria, sem comprometer o desempenho do rebanho.

Produzir silagem para lidar com a seca

Sabemos que a produção de pastagem é melhor durante o período das águas. No verão, os pastos crescem mais rápido e são mais nutritivos. Por outro lado, quando a estação seca chega, a qualidade do pasto cai e a eficiência da engorda "vai para o brejo". Por esse motivo, na época seca é que chega a hora de suplementar o rebanho. Novidade nenhuma, certo?

Certo! Porém, além da suplementação, outra prática milenar é a de armazenar a farta comida disponível no verão para que não falte no inverno. Na pecuária de corte esse armazenamento se chama ensilagem, ou seja, o processo de produzir silagem.

Mas o que é a silagem? Silagem são conservas de capim, cortado e guardado em silos. Entre os processos possíveis para conservação de forragem, o de ensilagem é o que mais garante a conservação das forragens em seu estado verde e úmido. A ensilagem garante que aquele capim tenha o mesmo teor nutricional de quando estava no pasto.

A silagem produzida pode substituir volumosos com custo mais alto, como a Brachiaria. Além disso, a silagem pode fazer parte da alimentação dos animais de diferentes formas:

  • como substituto de algum ingrediente, durante os períodos de escassez de alimentos;
  • como alimento complementar ao pasto, durante os períodos de baixa disponibilidade de pastagem;
  • em casos de confinamento, a silagem pode ser o principal alimento da dieta.

Por todas as vantagens citadas, é que muitas fazendas se especializam em vender a silagem pronta para outros pecuaristas. Contudo, definitivamente, essa não é a opção mais barata para o pecuarista de corte que já lida com altos custos de produção. Por isso, aprender a produzir silagem própria é uma estratégia inteligente e eficaz.

Os pontos essenciais para produzir silagem na fazenda

Agora que você já conhece os motivos de se produzir silagem na propriedade pecuária de corte, é hora de entender como fazer isso. Daqui em diante, você verá quais os capins mais indicados, como o processo de conversação acontece e quais cuidados você deve ter para conseguir produzir silagem de qualidade na sua fazenda. Por fim, você ainda conferirá algumas vantagens que farão a diferença na sua fazenda.

Todos os capins servem para produzir silagem?

Não. Nem todo capim será uma boa silagem. As principais gramíneas utilizadas para o processo de ensilagem são o milho e o sorgo. Essas duas são fáceis de cultivo e garantem uma silagem altamente nutritiva.

Porém, além do milho e sorgo, que são as mais famosas, outras espécies de capim também já são utilizadas. Como, por exemplo, o capim-elefante, a cana de açúcar e outras gramíneas tropicais do gênero Panicum e Brachiaria.

Essas forragens são boas para a produção de silagem por conterem alto nível de carboidratos solúveis em sua composição. Afinal, o processo de conservação do capim que ocorre na ensilagem só é possível por causa da fermentação anaeróbica desses açúcares.

Quais os tipos de silagem disponíveis?

Além das várias gramíneas que podem ser utilizadas para produzir silagem, existem ainda variações quando ao tipo de silagem que se pode produzir. Ao todo, são três tipos de silagem: da planta inteira, da parte superior da planta e do grão úmido. 

Cada um irá servir mais ou menos para o tipo de produção e para a estrutura da fazenda.

O milho, por exemplo, pode se transformar em silagem desde a planta inteira, até somente a espiga e os grãos.

Qual a estrutura necessária para produzir silagem na fazenda?

O processo de produzir silagem na fazenda irá demandar ajustes estruturais, de gestão da pecuária e de mão de obra.

Silos para silagem para gado de corte

  • É importante que o seu calendário de plantio e colheita de forrageiras esteja bem formulado para conseguir aproveitar ao máximo o clima favorável.
  • Uma colheitadeira irá agilizar e facilitar o processo.
  • A preparação e vedação dos silos é essencial para garantir que a fermentação da forragem ocorra corretamente.
  • É necessário ter boa estrutura para guardar a silagem com o mínimo risco de perda e desperdício.
  • Prepare a equipe da fazenda, capacitando os peões para o processo de ensilagem.
  • Seja um bom gestor das operações da fazenda. Assim, você poderá analisar se sua propriedade está apta para implementar esse processo e tomará decisões mais assertivas.

Se você ainda não sabe como ser um pecuarista gestor de alta qualidade, recomendamos o treinamento Metodologia 360, que proporciona um entendimento geral da produção de gado de corte e transforma você em um pecuarista mais eficiente e preparado.

As vantagens mais relevantes de se produzir silagem na fazenda

Agora você irá entender vantagens práticas de produzir silagem na fazenda. Elas são referentes À engorda do gado e despesas gerais da propriedade de corte. Confira.

Controle a qualidade da silagem

Antes de implementar a estratégia, é necessário realizar uma análise de solo completa e detalhada. A partir daí, os dados da análise vão ajudar no preparo do solo para confecção da silagem.

Quando o processo de ensilagem é feito de forma adequada, a silagem é de qualidade e apresenta características nutricionais semelhantes ao produto de origem, ou seja, a forragem oferece a mesma quantidade de nutrientes que já existia no início.

Por isso, sendo responsável por todo o processo de produção da silagem, você consegue identificar e evitar falhas durante o processo. Garantindo a qualidade do produto final.

Reduza o efeito sanfona do seu rebanho

O gado de corte exige alimento de qualidade para manter a engorda. Acima de tudo, isso é importante para manter um ganho médio diário (GMD) positivo. A silagem, como complemento ao pasto, é fundamental na época das secas para evitar o famoso “efeito sanfona”.

O efeito sanfona acontece quando o gado começa a perder peso ao invés de ganhar, por conta da baixa disponibilidade de pastagem, durante o período de escassez das chuvas.

Diversifique a renda da fazenda ao produzir silagem

Além de reduzir custos com a alimentação do seu rebanho, você ainda consegue comercializar a produção de silagem excedente e diversificar a renda da propriedade. Mas é claro que, desde que você tenha recursos para isso. Na época das secas, quem tiver silagem disponível, vai conseguir vender por um preço bem melhor do que o comum.

Colheita de milho para silagem

Produzir a própria silagem é uma alternativa boa e barata, desde que você tenha os recursos necessários para conseguir fazer a ensilagem. Claro que esse é um processo que precisa de uma gestão eficiente da fazenda pecuária. Porém, não deve ser descartada.

Todo processo na pecuária precisa de bom planejamento

Nem todos os pecuaristas são capazes de tomar decisões práticas com rapidez dentro de uma propriedade de corte. Isso não é uma crítica, afinal, sabemos o quanto a pecuária é complexa.

Por isso, temos em mente que para produzir mais, com menos e garantindo a qualidade da operação na fazenda, um Pecuarista 360 é fundamental. Afinal, o Pecuarista 360 é o pecuarista gestor, que controla, mede e avalia sua propriedade como um verdadeiro empresário administra sua empresa.

Se você quer ser esse tipo de pecuarista, está na hora de aprender como com o treinamento Metodologia 360. Com ele, e com a implementação de tecnologias de controle da pecuária pecuaristas comuns conseguem entender o que é preciso fazer para alcançar elevados patamares na gestão da pecuária de corte. Então, você vai ficar de fora?