Como reduzir o estresse dos animais? | Conheça o manejo racional

Peão manejando o gado para reduzir o estresse
Publicado em: Boi , Boi A Termo , Bovinocultura , Bovinos , Gado de Corte , Gestão Pecuária , Gestão Rural , Pecuária de Corte ,

Por muito tempo, o manejo dos animais foi feito “na bruta” e isso foi a causa responsável por diversas perdas em relação à qualidade do produto final. Com o avanço da tecnologia e estudos sobre o tema, uma das principais pautas para a otimização da pecuária de corte é o bem-estar animal. 

Por isso, hoje você vai aprender como reduzir o estresse dos animais a partir do manejo racional.

O que é manejo racional?

O Manejo Racional, também conhecido como Manejo Silencioso, consiste em um conjunto de técnicas desenvolvido por uma pesquisadora norte-americana, chamada Temple Grandin. Temple observou que os animais ficavam muito agitados e que isso poderia ser evitado com a utilização de técnicas tranquilas durante o manejo.bovinos no curral manejo racional

As práticas utilizadas por Temple têm base científica, e tem como objetivo respeitar a saúde, emoção e comportamento natural do animal. De forma geral, o manejo consiste em retirar tudo aquilo que causa estresse aos animais, ou seja, nada de choques, gritos ou agressão aos animais. Além disso, também é necessário retirar pregos, farpas ou qualquer objeto que possa causar alguma lesão no animal.

Qual manejo deve ser evitado para reduzir o estresse dos animais?

Para priorizar o bem-estar do animal, todo manejo que utiliza força deve ser evitado. O animal não deve ser conduzido de forma violenta, seja para entrar no tronco de contenção, subir no caminhão ou simplesmente ser trocado de piquete. Nesse sentido, deve-se evitar:

  • Golpear os animais, independentemente do objeto utilizado (madeiras, bastões, choques e etc);

  • Aglomerar animais nas seringas do curral;

  • Conduzir os animais de forma muito rápida;

  • Instalações em mau estado de conservação.

Por que o manejo racional é importante para o rendimento de carcaça?

Algumas consequências negativas podem ocorrer caso o manejo seja feito de forma inadequada, representando perdas no momento do abate. O mau manejo pode resultar em carcaças com hematomas, carnes mais escuras, perdas de peso e condenação de cortes por reações adversas a aplicação errônea das vacinas.

Por exemplo, quando aplicada de forma incorreta, a vacinação pode causar a formação de abscessos. No momento do abate, a região afetada será descartada e isso representa uma perda direta de 0,5 a 0,7 kg por boi. Além disso, a falta de boas práticas pode promover a ineficácia da vacina e, consequentemente, causar a morte do animal.

Uma das observações de Temple foi sobre a “máquina de abraçar”, que na verdade se tratava de um tronco de contenção. Os troncos e bretes devem ser escolhidos conforme a necessidade da sua fazenda, para que os animais não sejam lesionados durante o momento da contenção. Vacas prenhas, por exemplo, não devem ser contidas em troncos que pressionem a região do flanco, já que se trata de uma região muito próxima à barriga e pode interferir na gestação.

Quais são as vantagens do manejo racional?

A principal vantagem é, de fato, reduzir o estresse dos animais. Dessa forma, o trabalho é facilitado para os funcionários e causa estresse reduzido aos animais produzidos. Além disso, a produção é otimizada e pode-se observar que o desempenho do animal vai ser obtido da melhor forma possível.peão conduzindo o gado manejo racional

O manejo racional é capaz de promover um salto na produtividade, além de agregar maior qualidade ao produto final. Principalmente na exportação, os consumidores têm se tornado cada vez mais exigentes e, por isso, esses fatores agregam valor ao produto e favorecem o mercado exportador.

Priorizando o bem-estar da produção até o abate

Para obter carne de qualidade, não basta ter a melhor genética, nutrição ou produtividade. Sem um bom manejo, mesmo as melhores características podem não ser aproveitadas da melhor maneira possível. O manejo é o principal fator responsável pelo estresse dos animais e, consequentemente, pela qualidade do produto final: a carne.

A técnica prioriza o bem-estar do animal desde a produção até o momento do abate. E isso requer uma equipe bem capacitada, que entenda e respeite o manejo racional. Os funcionários devem receber treinamentos, para que entendam a rotina dos bovinos e o comportamento natural deles.

Quais são as recomendações do manejo racional?

Reduzir o estresse durante o trabalho é importante tanto para os animais quanto para o trabalhador, pois reduz a ocorrência de acidentes e outros prejuízos, como a redução do rendimento de carcaça. São diversos fatores que influenciam no bem-estar animal, e as recomendações gerais para um bom manejo são:

  • Verificar as instalações da fazenda, retirando toda e qualquer estrutura capaz de lesionar o animal (pregos, farpas, etc);

  • Retirar, de forma parcial ou total, o uso de choques para condução dos animais;

  • Conduzir os animais de forma silenciosa e tranquila;

  • Manter lotes uniformes, de mesma idade e tamanho, desde a produção até o abate, para evitar brigas e acidentes;

  • Utilizar caminhões adequados para o transporte, respeitando a quantidade limite do espaço.

peões conduzindo o gado manejo racional

Agora que você já conhece o Manejo Racional e quais recomendações seguir, é só colocar em prática!

Se inscreva no nosso canal do Youtube | Participe do nosso canal no Telegram | Participe do Grupo Exclusivo no Facebook | Acompanhe a Fertili no Twitter e também no Instagram